Gente de Mogi

O trágico fim do senador e sua filha

22 de abril de 2021

Foi no dia 20 de janeiro de 1906. Embora impossível – e inconveniente – comparar tragédias familiares, aquela, decididamente, tem lugar de destaque entre as mais tristes dentre as havidas em São Paulo. Pela peculiaridade dos fatos e pelo destaque de seus protagonistas. Francisco de Assis Peixoto Gomide estava próximo dos 57 anos. Advogado, professor e político, foi governador (dizia-se presidente à época) de São Paulo e presidente do Senado estadual (equivalente hoje à Assembleia Legislativa). Naquele dia, vitimado por o que hoje, provavelmente, seria diagnosticado como uma depressão, matou a filha Sophia (22 anos) e se suicidou em seguida. São Paulo parou, surpresa, e entre as muitas coroas de flores enviadas ao palacete da família na Rua Benjamin Constant havia pelo menos duas de mogianos, com as faixa: “Ao dr. Peixoto Gomide, seus compadres José…