Mogi de A a Z

O livro branco da Santa Casa

4 de janeiro de 2021

Tudo decorreu de uma grande improvisação. Sem planejamento e com sonhos altos, os mais elementares princípios de administração foram simplesmente ignorados. Ignorados por quem não os conhecia. E que, mesmo não os conhecendo, resolveu assumir o seu comando. A improvisação absoluta levou a mais antiga instituição comunitária da Cidade à falência. A Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes deve hoje mais de R$ 28 milhões. Isso é cerca de US$ 10,5 milhões ao câmbio de dezembro de 2004, data de seu último balanço dado a público. Isso é mais do que a sua receita anual, de R$ 27 milhões, também no ano passado. Ou seja: mesmo que feche as portas, não pague nada – nem luz, água, funcionários e remédios – e, ainda assim, continue recebendo por tudo, a Santa Casa não terá como…